sábado, 26 de março de 2011

Lágrimas de Chuva


O vento move as árvores
E bate no meu rosto,
Afastando as lágrimas insistentes,
Que teimam em cair,
Exteriorizando minha tristeza.

Os pingos gelados da chuva
Começam a me molhar.
As lágrimas, no chão,
se confundem com a chuva
E eu sigo caminhando.

Vejo ao longe a minha felicidade.
Solto o guarda-chuva
E deixo ser levado pela tempestade.
Encharcado pela água e por lágrimas,
Sigo caminhando.

Meus lábios escurecem,
Meu tremor é visível.
O caminho é árduo.
Um relâmpago ilumina o meu rumo
E vejo que estou só.

Ninguém nas ruas.
Lembro de meus momentos felizes,
Ao lado da minha felicidade e,
Vagando, chorando, só,
Sigo ao teu encontro.

3 comentários:

Leo M. disse...

Bom, já te falei o que eu achei desse texto. Mas pra deixar registrado aqui... Achei muito sincero, um tanto triste, bem verdade, mas lindo demais! Gosto muito dos teus textos, meu amigo! \o/

bruna' disse...

Que texto maravilhoso , eu adorei .. realmente é meio triste , mas também muito bonito *-*

Impressões de um cotidiano triste disse...

Gostei do blog, to seguindo ein!