sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Meu avô: um guerreiro!

Nasceu já faz tempo!
Onde? Não se sabe.
Talvez na terra dos guerreiros
Ou num lugar de sonhos.

Guerreiro e sonhador
Amou e criou seus filhos
Com total zelo
Como um eterno pai.

Seus netos tão distantes,
Mas tão presentes em sua memória,
Que às vezes falhava,
Porém, sempre perguntava: e o Fulaninho?

De suas batalhas
A mais comovente não foi a da Itália
Na Segunda Guerra Mundial
Foi com a vida, nos últimos momentos.

Guerreiro, se apegou com unhas e dentes
E aí de quem duvidasse dele.
Teimoso. Insistia em ficar,
Mas não conseguiu resistir à força do seu destino.

Onde está? Não sei.
Deve estar matando as saudades de sua outra amada.
Amada vó, que não conheci,
Mas é tão bem lembrada.

Vai, vô! Vai...
Faz, mais uma vez, a tua história.
Ergue a tua cabeça com o orgulho
De ser Bandeira e vai.

Vai, vô! A eternidade é tua companheira, agora.
Já fizestes tudo por aqui.
Vai, que tomo conta da mãe, que sentirá saudades,
Mas que se conforta em saber que tu estás bem.

Vai, vô. Eu fico aqui...
Mas daqui uns anos, longos anos,
Estaremos juntos e poderá me dar aquele abraço:
"Upa lá lá".

Ao meu avô, com muito amor.

5 comentários:

Mitcheia disse...

Oi querido. Sinto muito... Avós são tudo de bom! São nossos pais "com açúcar"... Têm a seriedade de nossos pais, mas vêm temperados com travessuras do bem: comer doces, fazer aquele passeio gostoso, cheirinho de "roupa limpa"... Mas a é assim... Temos que aceitar esse tal de ciclo da vida. Eles vão, mas ficam! Ficam dentro de nós, enfeitando várias de nossas mais lindas lembranças! Mais uma vez, sinto muito MESMO! Conta comigo...

Matheus Bandeira de Carvalho disse...

Valeu! :)

Renan disse...

Muito lindo e cheio de emoção!
A lei da vida é essa né..
Sinto muito pelo vô e sempre lembra dele como esse homem que descreves no post!
Um abração e lembra-te: estou aqui!
:)

Clarisse disse...

Matheus, sinto muito...
Muito lindo o que tu escreveu!
Infelizmente chegou a hora do vovô Izabelino descansar...irá deixar saudades...mas temos a certeza de que ele agora está bem, num lugar muito belo!Ficará a lembrança saudosa desse homem "guerreiro" que conhecemos!Conte comigo!Beijos...

rubia disse...

Matheus que lindo o que escreveste, cheio de amor. O teu avô na verdade nunca estará distante de ti. Contigo, bem aí dentro, ele sempre estará presente na forma de tudo que ele te ensinou e de todos os momentos que viveram juntos. As pessoas realmente importantes, no fundo nunca partem.